Science and Technology Daily: a experiência da China contra a COVID-19 pode ajudar o mundo a lutar contra a epidemia

  • 21
Science and Technology Daily: a experiência da China contra a COVID-19 pode ajudar o mundo a lutar contra a epidemia

PR Newswire

PEQUIM, 26 de março de 2020 /PRNewswire/ -- O jornal Science and Technology Daily anuncia:

Apesar de a epidemia de COVID-19 continuar na Europa, a China já obteve a vitória programada através de um método científico no combate contra o vírus da COVID-19. De acordo com os últimos dados oficiais, a situação da infecção na China foi controlada inicialmente e apenas poucos casos, ou até mesmo nenhum, foram relatados durante os vários últimos dias. Enquanto isso, pesquisadores chineses começaram a compartilhar a experiência "Anti-COVID-19" da China a pedido de vários países.  

Um encontro médico global on-line foi realizado em Pequim às 20h do dia 19 de março visando compartilhar a experiência da China na prevenção e contenção da COVID-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Muitos acadêmicos chineses como Zhong Nanshan, Li Lanjuan e Qiao Jie participaram do encontro que constou de discussões com colegas de outros países. Responderam a mais de dez perguntas de especialistas internacionais e usuários on-line, e cerca de 70.000 profissionais médicos e cidadãos da internet ao redor do mundo assistiram à reunião virtual.

O "Método Wuhan" está se tornando um dos métodos mais representativos da luta contra a epidemia. A situação provou o que Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, secretário-geral, disse anteriormente, isto é, a epidemia ocorrida na China está sob controle até agora, e as ações do país contra a COVID-19 têm também apresentado um sucesso comprovado. Em outras palavras, a implementação do "Método Wuhan" desempenha um papel crucial no sucesso da China no combate à epidemia.

O "Método Wuhan" inclui especificamente três orientações importantes.

Primeiro, uma "estratégia de fechamento" foi realizada em Wuhan pelo governo chinês para a redução do fluxo de pessoas, indicando que todos os locais públicos, como bares, cinemas, faculdades, foram fechados durante o combate contra a Covid-19. Simultaneamente, o governo chinês monitorou ativamente as condições de saúde pública não apenas em Wuhan, mas também em outras cidades e implementou a política central de "monitoramento proativo, detecção precoce, diagnóstico, isolamento e tratamento, e isolamento e rastreamento severo de contatos próximos de pacientes da COVID-19".

Segundo, para interromper a fonte de infecção, prevenir a propagação da epidemia em larga escala e aliviar a carga do sistema médico local em Wuhan, a China transformou grandes prédios públicos, como estádios, em vários hospitais especiais com o objetivo de reduzir a pressão do sistema médico local. O hospital especial denomina-se "hospital improvisado", um tipo de sistema médico de campo móvel do Exército de Libertação Popular (People's Liberation Army – PLA), no qual incluem-se unidades diferentes, entre elas a unidade de tratamento médico, de enfermaria e de suporte técnico. Com a construção dos hospitais, garantiu-se o tratamento de emergência, cirúrgico, testes clínicos e outros tratamentos médicos para pacientes da COVID-19.

Terceiro, o povo chinês colaborou ativamente com o governo. Inúmeras equipes médicas de várias províncias dirigiram-se rapidamente para Wuhan para ajudar a diagnosticar e tratar os pacientes da COVID-19 no local, enquanto as pessoas não infectadas ficaram em quarentena para evitar o contato próximo com os patógenos.

Até o momento, vários países europeus têm aprendido com o "Método Wuhan".

No dia 16 de março, o presidente francês Emmanuel Macron declarou nos canais da televisão nacional a adoção de medidas severas que "nunca tinham sido implementadas em tempos de paz" contra a COVID-19, incluindo a restrição de viagens públicas por, no mínimo 15 dias; o adiamento do segundo turno das eleições municipais; a interrupção de reformas governamentais em andamento; a expropriação de taxis e hotéis pelo estado; e também a responsabilidade do exército francês pela transferência de pacientes e pela implementação de hospitais de campo nas áreas seriamente atingidas. Em resumo, a França, após a Itália e a Espanha, tornou-se o terceiro país europeu a impor a lei marcial.

A França está gradualmente promovendo várias medidas ao implementar finalmente o "Método Wuhan", indicando que a experiência antiepidêmica da China foi colocada em prática. Dominique BERTRAND, presidente da Comissão Nacional de Saúde Pública, acredita que as medidas de quarentena da China foram altamente eficazes e provocaram resultados favoráveis representando uma referência importante para a França. O país não impôs a lei marcial imediatamente para proporcionar ao público um período de adaptação à situação, em consideração às características nacionais da França, o que torna difícil a obtenção do sucesso em um passo completo.

A disseminação do vírus está sempre à frente dos números confirmados. A Organização Mundial de Saúde declarou novamente: "O tempo que a China obteve para o mundo está se esgotando".

BERTRAND enfatizou que a colaboração internacional no surto atual de COVID-19 é necessária, apoiando e esperando que a China organize a cooperação internacional para a situação. Atualmente, vários países precisam entender porque a China está tomando essas medidas e, em particular, a eficácia das mesmas. A França espera fortalecer a cooperação com a China, que superou o teste com sucesso, na luta contra a epidemia. Resumidamente, a França atribui uma grande importância à experiência da China em face da epidemia.

FONTE Science and Technology Daily

PR Newswire